Imagine ter dinheiro pingando na sua conta corrente quando você menos espera. Conseguiu pensar? Neste artigo você vai descobrir quais são as Ações Que Mais Pagam Dividendos, com o objetivo de criar um fluxo de caixa constante através de investimentos.

acoes-que-pagam-dividendos

Quando você é acionista de uma empresa listada na Bolsa de Valores, você tem direito a participar das suas distribuições de lucro, respeitando o seu percentual no total de ações. Se você tiver apenas 1 ação ou 100.000 ações, você vai receber os Dividendos, o que muda é a proporção dos valores.

Dentro do Investimento em ações focado no longo prazo, existem duas opções de ações para possuir, são elas: Ações de Crescimento e Ações de Dividendos.

Essa separação existe pelo simples fator de que as empresas crescem em ritmos diferentes. As empresas que apresentam alto crescimento preferem reinvestir os lucros no próprio negócio para gerar mais lucro no futuro. Essas empresas oferecem maiores potenciais de retorno, mas em compensação são mais arriscadas, já que as chances de os projetos futuros darem errado existem e são relevantes. 

Já as empresas pagam Dividendos em função de não conseguirem encontrar melhores oportunidades de negócio para reinvestir os seus lucros. Por exemplo, se uma empresa paga um dividendo (Dividend Yield) de 3% ao aos acionistas, isso significa que os diretores não conseguiram encontrar melhores oportunidades de investimento que superem esses 3%.

Agora, pense na situação em que você é CEO de uma empresa com crescimento explosivo, como a Tesla Motors, que vende carros elétricos de luxo.

Nessa situação, porque você pagaria dividendos com os lucros ao invés de reinvesti-los no próprio negócio para gerar mais lucros? Isso é o que acontece nas empresas de crescimento, principalmente nas que estão em setores em ascensão. 

Ainda, em um cenário como o que temos hoje, de juros mais baixos, as ações de dividendos podem ser muito boas para aumentar o retorno da sua carteira.

Agora falando mais sobre os Dividendos em si, é interessante fazer uma analogia com uma fazenda.

Imagine que você é um fazendeiro que possui algumas vacas. Todos os dias você alimenta os animais e recolhe leite para vender. Após dois anos fazendo isso, você observa que existe uma demanda alta por vacas no mercado, então você vende as suas para outra pessoa.

A mesma coisa acontece com o mercado de ações, os investidores compram as ações em baixa, mantém elas por algum tempo, recebem dividendos durante esse período e depois vendem quando elas sobem bastante.

Por Que Receber Dividendos?

No Brasil, não existe um percentual mínimo ou máximo do lucro que é distribuído, cada empresa de capital aberto tem isso expresso no seu próprio estatuto social.

Algumas nem sequer fazem esse tipo de distribuição, como é o caso das Small Caps, que são empresas menores caracterizadas por terem alto potencial de crescimento.

Ainda, até mesmo algumas grandes não distribuem dividendos, preferindo reinvestir esses lucros no próprio negócio, com o intuito de permitir o desenvolvimento de produtos e serviços melhores, que vão gerar mais dinheiro no futuro.

Dividendos de Ações são uma renda extra e o melhor, são uma Renda Passiva, isto é, fonte de receita que exige mínimo ou nenhum esforço para ser mantida (no caso, basta escolher as ações, comprar e manter).

Muitas pessoas investem pensando em ser parceiros de boas empresas e receber dividendos gordos ao longo dos anos, o que pode ajudar até mesmo em uma aposentadoria antecipada.

Por exemplo, as ações da Itaúsa, a holding que controla o Banco Itaú, remuneram os acionistas com dividendos crescentes desde 1999, isso mostra um modelo de negócio sólido e pautado na busca pela eficiência e pelo controle de custos.

dividendos_itsa4
Agência do Banco Itaú na Avenida Paulista, em São Paulo

O próprio site da empresa revela que quem tivesse investido R$ 10 mil nesse mesmo dia 03 de setembro em 1999 e reaplicado os dividendos distribuídos, teria cerca de R$ 332 mil hoje, exatamente 20 anos depois, sem precisar ter mexido nem mesmo um dedo.

Durante todo esse tempo, aconteceram vários rumores, recessões, crises e diversos outros fatores que jogaram as cotações das ações para baixo, mas mesmo durante as crises, a empresa continuou pagando dividendos.

Nessas horas, precisamos ter estômago e fechar o ouvido para notícias negativas que afetam o curto prazo. Quem foi paciente colheu e ainda está colhendo os frutos da espera. Por isso, investir em empresas sólidas compensa no longo prazo. 

Maiores Pagadoras de Dividendos

A Economática montou uma lista com as ações que mais vão pagar dividendos em 2019, confira essa lista à seguir:

acoes_que_mais_pagam_dividendos

Observação: Para a seleção das maiores pagadoras em potencial de dividendos e juros sobre capital próprio, a consultoria levou em consideração seis premissas básicas: 

  1. O volume financeiro médio diário das negociações das ações deve ser superior a R$ 5 milhões em 2018.
  2. A empresa precisa ter registrado lucro em 2017 e nos primeiros nove meses de 2018.
  3. O lucro acumulado de janeiro a setembro de 2018 precisa ter sido equivalente a pelo menos 75% do lucro acumulado durante todo o ano de 2017. A empresa deverá atingir lucro no ano de 2018 igual ou superior ao do ano de 2017.
  4. A política de distribuição de dividendos e de juros sobre capital próprio da empresa no ano de 2019 deve ser equivalente ou superior à do ano de 2018.
  5. A ação tem que ter distribuído dividendos ou juros sobre capital próprio no ano passado.
  6. O cálculo do dividend yield projetado para o fim de 2019 foi efetuado considerando o preço da ação no último dia de 2018 e o mesmo volume de dividendos e juros sobre capital próprio distribuídos pela ação no ano de 2018.

Ainda, é importante ressaltar que essa lista é projetada, isto é, baseada em estimativas, o que não quer dizer que se trata de quantias que realmente serão pagas, já que isso depende de diversos outros fatores.

A maioria das ações que pagam dividendos já estão estabelecidas do mercado e não precisam de investimento para crescer, por isso decidem distribuir os lucros.

Além disso, as cotações das ações dessas empresas tendem a não ser tão voláteis, já que os seus modelos de negócios são mais consolidados e os seus resultados são mais previsíveis.

maiores_dividendos_2019

Lembrando que olhar apenas para os dividendos é errado, quem fizer isso ficará com uma visão míope.

Um dividendo muito alto em um ano pode ter sido resultado de um evento não recorrente ou qualquer outro fato excepcional. Além disso, empresas que aumentam os dividendos sem um aumento nos lucros como um todo precisam ser evitadas, já que atitudes como essa podem ser apenas um chamariz para investidores.

Ser uma empresa excelente e ter altas projeções de crescimento são duas coisas bem diferentes.

Muitas vezes, as empresas mais admiradas pelo mercado não possuem mais tantas oportunidades de crescimento, visto que se encontram em um estágio de maturidade.

Geralmente, essas empresas possuem mais fluxo de caixa livre do que realmente precisam para sustentar as suas operações, então pagam grandes dividendos, mas nesses casos, o investidor deve esperar uma apreciação de capital menor.

Por outro lado, a Teoria do Ciclo de Vida das Firmas sugere que empresas pequenas, em crescimento exponencial ou startups geralmente vão pagar menos ou até nenhum dividendo, pois precisam conservar esse capital para investir em projetos da empresa, a fim de gerar mais lucro no futuro. 

Para os dividendos serem um indicador confiável, as margens de lucratividade precisam ser altas, as necessidades de capital devem controladas, bem como o modelo de negócio precisa conter barreiras de entrada.

Mais sobre essa questão de Dividendos Enganosos pode ser encontrado neste vídeo muito interessante do Fábio Faria, do Canal do Holder, que expõe muito claramente os fatores aos quais é preciso prestar muita atenção na hora de comprar ações que pagam dividendos.

Se uma empresa está passando por uma situação em que precisa cortar o pagamento de dividendos aos acionistas, isso certamente vai afetar o preço das ações.

Benjamin Graham (o principal mentor de Warren Buffett, que é o maior investidor do mundo), afirma que devemos escolher empresas que conseguiram aumentar o pagamento de dividendos de maneira consistente e ininterrupta ao longo de décadas, já que em razão de ter obtido tal feito, possuem vantagens competitivas duradouras.

Por isso cuidado, as ações que mais pagam dividendos podem não ser as mais seguras se esses dividendos não forem de qualidade.

Comprar ou vender uma ação exige uma análise que vai além de um indicador isolado. O que cria padrões aqui é a consistência e o sucesso com o passar do tempo.

Como As Ações Pagam Dividendos

Para receber Dividendos, você precisa (obviamente) possuir as ações antes da Data Ex-Dividendos (sem dividendos), que consiste na data em que a partir da qual as ações compradas não terão mais direito de receber os dividendos anunciados por determinada empresa.

Quando chegar o dia marcado para o pagamento, os dividendos vão entrar diretamente na sua conta corrente da Corretora.

Cada empresa tem um calendário próprio de distribuição de dividendos, algumas pagam uma vez por trimestre, outras uma vez por semestre ou ainda uma vez por ano.

Receber dividendos todos os meses é uma ótima maneira de aumentar o fluxo de caixa pessoal. Para isso, você precisa construir o seu próprio calendário com base no calendário de pagamento de dividendos das empresas, que pode ser encontrado nos sites de Relações Com Investidores das Companhias.

Um pensamento interessante para formar a sua Carteira de Investimentos é fazer um “match” entre o seu estágio de vida e o seu perfil de investimento. Uma pessoa jovem, em tese, pode correr mais risco que uma pessoa mais velha, que já tem família completa e responsabilidades maiores. 

Nesse segundo caso, os dividendos caem muito bem, já que possibilitam um fluxo de caixa extra, sem incidência de imposto (por enquanto) e com risco menor (em função do que falei antes sobre a maturidade das empresas).

Ainda, no caso de uma queda generalizada no mercado de ações, as ações que pagam bons dividendos tendem a sofrer menos, em razão de possuirem menor volatilidade.

No entanto, o investimento em dividendos pode não compensar para quantias pequenas, já que o dividendo vai acabar sendo mínimo. Nesses casos, o melhor a fazer é primeiro encontrar ações de crescimento, para multiplicar o capital, e somente após isso migrar para ações de dividendos.

Se você quiser receber rendimentos todo o mês, mas não quiser investir em ações, Os Fundos Imobiliários Podem Ser Uma Ótima Opção. Por último, lembre-se que dinheiro parado significa perda de poder de compra devido a inflação, faça o seu dinheiro trabalhar por você.