Uma ótima maneira de se expor a Renda Variável é através de Exchange Traded Funds (ETFs). Mas você sabia que existem diversos ETFs Brasileiros disponíveis para investir na B3?

Neste artigo vamos abordar todos os ETFs brasileiros da B3 e qual é a estratégia de cada um deles, bem como a quais indicadores a sua performance está relacionada.

O Que São ETFs?

Em português, os ETFs também são conhecidos como Fundos de Índice. Os ETFs replicam a carteira de determinado índice, buscando obter uma performance similar.

Esses ativos funcionam como uma espécie de cesta, abrigando diversos ativos, e são negociados nas Bolsas de Valores, portanto, assim como as ações, as cotações dos ETFs flutuam com base na Lei da Oferta e Demanda.

Os investidores que optam pela exposição ao mercado através de ETFs acreditam que os mercados são eficientes, isto é, basicamente, pensam que os preços dos ativos no mercado refletem todas as informações disponíveis. Assim, pensam que não é possível bater o mercado no longo prazo.

Os brasileiros ainda são menos adeptos a gestão passiva de recursos, na qual um investidor busca ativos que repliquem a performance de um indicador, por exemplo, o ETF BOVA11 replica a perfomance do Índice Bovespa. Sendo assim, se o Índice Bovespa sobe 10% em um mês, o BOVA11 tende a apresentar uma valorização similar.

Nos Estados Unidos, o investimento em ETF é muito mais difundido, sendo uma das classes de ativo favoritas dos americanos, pois proporcionam uma boa diversificação cobrando comissões baixas. Aqui no Blog, já fizemos uma lista com os Melhores ETFs Americanos.

Como Investir em ETFs no Brasil

É muito fácil e simples investir em ETFs, você só precisa de uma conta em uma corretora credenciada, do acesso ao Home Broker e de capital na conta-corrente.

No próprio Home Broker, basta digitar a sigla do ETF e comprar o número de cotas desejadas.

A instituição administradora do ETF é responsável por replicar a carteira do índice específico, sendo que por esse trabalho, cobra uma taxa de administração, que geralmente é bem baixa, indo de 0,25% a 1,25% ao ano.

Ao contrário das ações, que possuem uma isenção de Imposto de Renda para vendas de até R$ 20.000 no mês, os ETFs não possuem essa isenção, sendo que sobre cada venda de ETFs existe a alíquota de 15% de Imposto de Renda sobre o Lucro da operação.

Quais São os ETFs Brasileiros na B3?

Indo ao ponto, agora vamos falar sobre os ETFs Brasileiros disponíveis para você investir no cenário “turbulento” para os mercados até agora em 2020.

etfs brasileiros

De acordo com a B3, existem 17 ETFs Brasileiros. No entanto, dependendo do tamanho do seu investimento, é necessário prestar atenção a liquidez destes ativos, visto que alguns possuem pouco volume de negócios por dia.

ETFs do IBOVESPA

ISHARES IBOVESPA FUNDO DE ÍNDICE (BOVA11)

É o ETF mais líquido do Brasil, isto é, possui o maior volume de negócios e segue a performance do Índice Bovespa.

Este ETF é administrado pela gestora americana BlackRock e sua taxa de administração de 0,30% ao ano.

IT NOW IBOVESPA FUNDO DE ÍNDICE (BOVV11)

O BOVV11 é similar ao BOVA11, porém é administrado pelo Banco Itaú e sua taxa de administração é de 0,30% ao ano.

CAIXA ETF IBOVESPA FUNDO DE INDICE (XBOV11)

Assim como o BOVA11 e BOVV11, o XBOV11 também replica a perfomance do Índice Bovespa, no entanto, sua taxa de administração é maior, de 0,50% ao ano.

O XBOV11 é administrado pela Caixa Econômica Federal.

ETF BRADESCO IBOVESPA FDO DE INDICE (BOVB11)

O BOVB11 é o mais recente entre todos os ETFs que replicam o Índice Bovespa.

O seu diferencial é uma taxa de administração pouco mais reduzida em comparação aos ETFs Similares. O BOVB11 possui taxa de administração de apenas 0,20% ao ano.

Esse ETF é administrado pelo Bradesco Asset.

ETFs do Índice de Small Caps

ISHARES BMFBOVESPA SMALL CAP FUNDO DE ÍNDICE (SMAL11)

O SMAL11 é o principal ETF para replicar o Índice das Small Caps, ajudando a expor determinada parcela do patrimônio a ações de empresas brasileiras menores.

Esse ETF é administrado pela BlackRock e sua taxa de administração é de 0,69% ao ano.

IT NOW SMALL FUNDO DE ÍNDICE (SMAC11)

O Itaú lançou em 2020 o SMAC11, que veio para fazer concorrência ao SMAL11, pois ambos possuem o mesmo benchmark.

O grande diferencial do SMAC11 é uma taxa de administração menor, de 0,50% ao ano.

ETFs do S&P500

ISHARES S&P 500 FUNDO DE ÍNDICE (IVVB11)

O IVVB11 é o principal ETF Brasileiro para aqueles investidores que desejam se expor as ações americanas de forma fácil, simples e pouco burocrática.

Esse ETF segue a performance do Índice S&P500, o principal dos Estados Unidos, que engloba as 500 maiores empresas do país.

A BlackRock, gestora desse fundo, utiliza os recursos aportados por investidores para comprar o cotas do ETF IVV nos Estados Unidos.

A taxa de administração do IVVB11 é de 0,24% ao ano.

IT NOW S&P500 TRN FUNDO DE INDICE (SPXI11)

O Itaú criou o seu próprio ETF para concorrer com a BlackRock também no segmento de veículos para investimento passivo no exterior.

O SPXI11 também segue a performance do S&P500, mas possui taxa de administração de 0,21% ao ano.

ETFs de Dividendos

BB ETF S&P DIVIDENDOS BRASIL FUNDO DE ÍNDICE (BBSD11)

O BBSD11 segue a performance do Índice S&P Dividendos Brasil, que reflete o desempenho das ações que mais pagam dividendos na bolsa de valores brasileira.

O Banco do Brasil administra esse ETF e sua taxa de administração é de 0,50% ao ano.

IT NOW IDIV FUNDO DE ÍNDICE (DIVO11)

O DIVO11 foi o primeiro ETF de empresas de dividendos do Brasil.

Esse ETF é administrado pelo Itaú e segue a performance do IDIV, o Índice de Dividendos, composto pelas ações com maiores Dividend Yield nos últimos 24 meses.

A sua taxa de administração é de 0,50% ao ano.

Outros ETFs

ISHARES IBRX – ÍNDICE BRASIL IBRX-100 (BRAX11)

O BRAX11 replica a performance do IBrX-100, Índice composto pelas 100 ações mais negociadas na bolsa de valores.

Em razão da metodologia de composição do IBrX-100, pautada apenas no volume de negociação das ações, esse índice usa apenas critérios quantitativos para inclusão de ações, por isso é preciso prestar atenção (já que os fundamentos são deixados de lado)

Esse ETF é administrado pela BlackRock e sua taxa de administração é de 0,20% ao ano.

IT NOW PIBB IBRX-50 – FUNDO DE ÍNDICE (PIBB11)

O PIBB11 foi o primeiro ETF do Brasil e busca seguir a performance do IBrX-50, que engloba as 50 ações mais negociadas na bolsa de valores.

O mesmo conselho do BRAX11 vale para o PIBB11: esses ETFs deixam de lado os aspectos fundamentalistas, por isso é preciso ter cuidado.

Sua taxa de administração é de 0,059% ao ano.

ISHARES ÍNDICE CARBONO EFICIENTE (ECOO11)

O ECOO11 é um ETF “Verde”, que inclui as empresas que fazem parte do Índice ICO2, isto é, empresas brasileiras que possuem as melhores práticas em relação a suas emissões de carbono.

Apesar de ser ambientalmente correto, não existe material que comprove a relação disso com a boa performance das ações dessas empresas, por isso é bom analisar individualmente as ações que compõem o ICO2 antes de investir.

Esse ETF é administrado pela BlackRock e sua taxa de administração é de 0,38% ao ano.

IT NOW IFNC FUNDO DE ÍNDICE (FIND11)

O FIN11 busca replicar a performance do IFNC, Índice que engloba as instituições financeiras brasileiras.

Esse ETF é administrado pelo Itaú e sua taxa de administração é de 0,60% ao ano.

IT NOW IGCT FUNDO DE ÍNDICE (GOVE11)

O GOVE11 é o ETF que replica a performance das ações do IGCT, aquelas que seguem os padrões mais elevados de governança corporativa, de forma voluntária.

É um ótimo investimento para quem deseja se expor a empresas com padrões elevados de gestão e governança, fatores que importam (e muito) para o sucesso das ações no longo prazo.

A taxa de administração do GOVE11 é de 0,50% ao ano.

IT NOW IMAT FUNDO DE ÍNDICE (MATB11)

O MATB11 segue a performance do Índice de Materiais (IMAT).

Por sua vez, o IMAT é o benchmark das cotações das ações com alta negociabilidade e representatividade do setor de materiais básicos.

A taxa de administração do MATB11 é de 0,50% ao ano.

IT NOW ISE FUNDO DE ÍNDICE (ISUS11)

O Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) inclui as empresas listadas na B3 com as melhores práticas de sustentabilidade corporativa, baseadas em eficiência econômica, equilíbrio ambiental, justiça social e governança corporativa.

O ISUS11 busca seguir a perfomance das ações do ISE. Sua taxa de administração é de 0,40% ao ano.

Quais os Melhores ETFs Brasileiros para a Crise de 2020

Particularmente, nesse momento o ideal é dar preferência aos ativos de maior qualidade, isto é, empresas sólidas, com caixa robusto e dívida controlada, que possuem maior probabilidade de passarem pela crise sofrendo menos impactos.

Nesse sentido, o melhor é dar preferência aos ETFs que incluam ativos com base na qualidade dos fundamentos e da administração da companhia.

Além disso, como várias ações ficaram muito baratas, talvez seja um bom momento para escolher ações específicas, principalmente tendo como base a Estratégia de Value Investing.