As ações da OIBR3 já caem mais de 99% desde a cotação máxima atingida em 2012. Na época, uma ação da Oi valia R$ 127,90, hoje essa mesma ação vale R$ 0,91.

Durante esses 8 anos, o cenário enfrentado pela companhia mudou totalmente, tanto por dificuldades internas quanto por dificuldades externas (relacionadas ao modelo de negócio da empresa).

Sem dúvidas, OIBR3 pode ser hoje um caso de Value Investing.

Como as Ações da OIBR3 Chegaram Nessa Situação

Hoje em dia, o setor de telecomunicações como um todo apresenta poucas oportunidades de crescimento, pois já atingiu um relativo estágio de maturidade.

ações da oibr3

Antigamente, os serviços de telefonia fixa eram um pilar central do modelo de negócio dessas companhias, visto que forneciam receitas estáveis e relativamente previsíveis.

Ao longo do tempo, com a introdução de novas tecnologias, a telefonia fixa entrou em declínio e as companhias telefônicas se expandiram para outras frentes de mercado, como a telefonia móvel e os pacotes de dados, que se revelaram como a salvação para os seus negócios.

A receita das operadoras de telecom do Brasil e do mundo tem apresentado baixo crescimento e/ou diminuído nos últimos anos.

No entanto, no caso da Oi, a empresa não conseguiu se adaptar a essas mudanças de mercado, o que aliado a ineficiências internas, burocracias estatais, culminou no então maior pedido de recuperação judicial do país (hoje, esse título pertence a Odebrecht).

Observe no gráfico abaixo como as receitas da Oi entraram em tendência de queda nos últimos anos:

receita oibr3
Receita Líquida OIBR3 I Fonte: Fundamentus

Em 2016, a Oi pediu recuperação judicial apresentando uma dívida de nada mais nada menos do que R$ 65,4 bilhões.

Como os preços das ações refletem os lucros das empresas, as incertezas que rondam esse declínio e o processo de recuperação judicial levaram as ações da OIBR3 até os centavos.

O Que Pode Fazer As Ações Da Oi Serem Uma Oportunidade

Após entrar em Recuperação Judicial, a Oi apresentou um plano de recuperação para os credores, cuja estratégia central era retomar investimentos para disputar o domínio sobre o mercado de Fibra Ótica, segmento que a companhia acredita que poderá ajudá-la a aumentar as receitas (e consequentemente, gerar lucro).

Ainda, os objetivos do plano estratégico eram os seguintes:

  • Implementar FTTP (fibra até a residência) em 15 milhões de novos lares entre 2019-21
  • Ganho no Atacado (prover serviços para infraestrutura 5G)
  • Reformulação e Reposicionamento do B2B (a Oi quer atuar oferecendo serviços de TI e Cloud)
  • Busca de assinantes de maiores gastos (aumentar o ticket médio dos clientes, oferencendo mais produtos e mais qualidade)

No entanto, como estava em uma situação financeira terrível, a Oi precisaria investir mais dinheiro do que conseguia gerar através das suas atividades operacionais, portanto, no final, apenas com aqueles recursos, a conta não ia fechar.

Desde lá, a empresa captou mais dinheiro no mercado (realizando um aumento de capital) e continua queimando caixa em uma proporção maior do que consegue arrecadar.

No entanto, caso consiga manter os investimentos em Fibra Ótica (que é relativamente promissor)

Uma Tese de Investimento como a de OIBR3 é chamada de event-driven, isto é, depende de eventos para se materializar. Alguns deles são:

Venda Da Participação Na Telecom Angolana Unitel e Imóveis

Fontes afirmam que a Oi pode estar muito próxima de acertar a venda da sua participação na Unitel. De acordo com a empresa, essa participação pode valer R$ 4 bilhões, sendo que a Oi ainda tem direito a receber dividendos da Unitel.

Essa transação é extremamente complexa, em razão da insegurança jurídica relacionada a Unitel e ao Governo de Angola (já que se trata de uma companhia com participação indireta do Governo, através da Sonangol).

A concretização venda da Unitel eliminaria incertezas relevantes, visto que o dinheiro proveniente desta operação seria suficiente para preencher as necessidades de caixa da Oi durante o período de 2020 e 2021.

Entre a participação na Unitel, Torres de Celular, Data Centers e Imóveis, a empresa acredita conseguir levantar cerca de R$ 6 a 7 bilhões até 2021.

Venda Da Operação Móvel

O plano de estratégico da Oi é claramente mais focado nos investimentos em Infraestrutura em detrimento da operação móvel.

ações da oibr3

De acordo com relatórios da própria companhia, a sua operação móvel possui cerca de 37.5 milhões de usuários, que assumem por aproximadamente 16,4 do market share brasileiro.

Em outras palavras, ao deixar de lado a operação móvel no seu novo plano estratégico, a companhia deixou esse negócio à venda.

Para os competidores (Vivo, Tim e Claro), comprar essa operação móvel faria muito sentido do ponto de vista do negócio, visto que todas essas empresas poderiam obter grandes sinergias ao adquirir esse novo ativo, bem como praticamente impedir qualquer outro player de entrar nesse mercado.

A operação móvel da Oi pode ser vista como a “jóia da coroa”, sendo que analistas do BTG Pactual calculam que ela pode valer cerca de R$ 15 a 18 bilhões.

Para Onde Vão As Ações da OIBR3

O case de Oi é extremamente arriscado, chegando a ser quase binário: ou os investimentos são feitos e dão resultados ou eles não são feitos e não dão resultado (neste caso, a empresa corre sérios riscos de ir à falência).

Existem chances de a companhia não conseguir levantar caixa suficiente para sustentar os investimentos que são necessários para a estruturação do negócio de fibra ótica.

A ações da OIBR3 negociam hoje (17 de janeiro de 2020) a um Preço/Valor Patrimonial de 0,27, valor que simboliza o tamanho das incertezas sobre o caso, visto que a empresa vale menos do que os ativos que possui.

Caso a situação esteja se encaminhando para um possível sucesso, o mercado tende a antecipar isso e as ações se valorizar.

Se você quiser mais detalhes sobre esse Turnaround da Oi, esse vídeo pelo analista Ricardo Schweitzer, da Nord Research, explica de uma forma bem detalhada todos os desafios que esperam as ações da OIBR3 em 2020.

De uma forma ou de outra, o que é certo é que 2020 será um ano um tanto volátil para as ações da Oi.